Reforma de impermeabilização: como funciona?

A impermeabilização é um componente essencial dos elementos estruturais de qualquer tipo de construção, como forma de proteção contra a infiltração e ataques da umidade. Em linhas gerais, a exposição à água sobre materiais tem muitos efeitos nocivos e podem comprometer bastante a durabilidade e segurança estrutural das edificações.

 

Uma das técnicas mais utilizadas na impermeabilização em obras é a manta asfáltica. Esse tipo de sistema tem a sua durabilidade e garantia diretamente relacionadas à qualidade do material utilizado e à especialização da mão-de-obra que executa o serviço. Eventualmente, no decorrer dos anos, a manta asfáltica pode precisar ser substituída, de forma a não correr riscos e garantir a proteção dos elementos estruturais.

 

Segundo Moraes (2002, p. 36) “promover a reexecução total da impermeabilização existente é uma forma de solução dos problemas porque os reparos localizados em impermeabilização são frequentes e reconhecidos como procedimentos fracassados”. O autor sugere ainda uma sequência de etapas para serem executadas. Vamos acompanhá-las passo a passo.

 

Passo a passo: como refazer a manta asfáltica

 

1. Demolição do piso existente

reforma de impermeabilização quebrar o piso

A primeira etapa de uma reforma de um sistema de manta asfáltica é a retirada do piso existente. A manta asfáltica, via de regra, não pode ficar exposta e para garantir seu funcionamento correto é preciso de um revestimento, no caso contrapiso e piso.

 

A retirada do piso existente é essencial, pois não é possível aplicar uma nova manta sobre um piso que apresenta defeitos. As patologias apresentadas continuarão a existir, e há um risco para o elemento estrutural.

Entenda:

 

A demolição do piso existente pode ser feita de forma manual, com equipamentos mais simples (marreta, talhadeira, etc.), porém, quando se trata de uma área maior, vale a pena utilizar maquinários específicos como o martelete, para que o serviço seja executado de maneira mais rápida.

 

2. Remoção da proteção mecânica existente

reforma de impermeabilização contrapiso manta asfáltica

Na fase de execução da grande maioria das mantas asfálticas disponíveis no mercado, deve ser feito algum tipo de proteção mecânica, visando aumentar a durabilidade do sistema. Essa proteção é feita com uma camada separadora (filmes, papel kraft, feltro asfáltico, etc.) seguida do lançamento de argamassa com 2 cm ou conforme especificação de projeto, prevendo juntas de dilatação. Também é possível que essa proteção mecânica seja feita com tintas acrílicas.

 

De qualquer forma, é preciso retirar qualquer tipo de proteção mecânica sobre a manta asfáltica no momento da reforma. Essa retirada deve seguir os mesmos procedimentos da retirada do piso existente.

 

3. Retirada e transporte do entulho gerado

reforma de impermeabilização entulho

Durante as etapas de remoção do piso e da proteção mecânica haverá bastante entulho. Como em toda obra, já deve ser previsto o transporte e descarte correto dos dejetos. É importante contratar empresas especializadas para este tipo de serviço, uma vez que o descartar entulho em locais impróprios é crime.

 

4. Remoção da impermeabilização antiga

reforma de impermeabilização remoção de manta asfáltica com falha

Após a remoção do piso existente e proteção mecânica, finalmente a manta asfáltica está exposta. Nesse momento é possível começar a retirada do sistema de impermeabilização que está apresentando falhas.

 

A remoção feita com o auxílio de máquinas é bem mais fácil e rápida, especialmente em grandes áreas. A manta asfáltica fica bem aderida à superfície, portanto o processo de retirada em determinados casos pode ser um pouco mais difícil.

 

Vale lembrar que o entulho gerado nessa etapa da obra deve ser destinado à locais apropriados para o descarte desse tipo de material. A manta deve ser retirada por completo, de forma a garantir que o próximos passos da reforma possam ser executados de maneira correta.

 

5. Reconstituição da regularização

reforma de impermeabilização passo a passo regularização

A camada de regularização deve ser aplicada sobre o elemento estrutural para garantir nivelamento e uniformidade. É bem provável que durante o processo de retirada da manta asfáltica antiga a superfície acabe ficando danificada e desgastada em vários pontos.

 

A camada de regularização é importante para proteção da estrutura, e também para proporcionar uma superfície limpa e regular para aplicação da nova impermeabilização. Essa etapa é feita com o lançamento de argamassa conforme especificação de um profissional.

 

É muito importante prestar atenção aos traços da argamassa e respeitar os processos e prazos de cura da camada de regularização, para evitar bolhas de ar, pontos fracos, fissuras, perda excessiva de água, e qualquer tipo de problema que comprometa a camada de regularização.

 

6. Aplicação de nova impermeabilização

reforma de impermeabilização manta asfáltica

Finalmente depois de retirada a impermeabilização antiga, e feita a nova regularização, chega o momento de aplicar a nova manta asfáltica. É imprescindível que este serviço seja executado por empresas e profissionais habilitados e experientes.

 

A aplicação da nova manta asfáltica deve ser feita sobre superfície limpa, regularizada, livre poeiras, óleos, graxas, com os caimentos corretos e meias canas nas quinas, eliminando cantos vivos.

 

Primeiramente deve ser aplicado o primer, que é a tinta de ligação entre a superfície e a manta asfáltica. Quando o primer estiver seco, desenrolar a manta sobre a superfície do ponto mais baixo para o ponto mais alto.

 

Com o auxílio de um maçarico, a manta é colada na superfície. O processo deve ser feito seguindo rigorosamente as instruções do fabricante, especialmente nas emendas que são os pontos mais mais críticos, sempre respeitando 10cm de sobreposição (ou conforme orientação).

 

Depois de executada, é preciso esperar 72 horas para realizar o teste de lâmina d’água, para verificar a estanqueidade da manta asfáltica. Veja também:

 

7. Colocação de camada separadora

reforma de impermeabilização manta asfáltica kraft

Previamente à proteção mecânica, deve ser instalada uma camada separados, normalmente feita com papel kraft, filme de polietileno, ou similar. Essa camada evita o contato direto das camadas superiores com a manta asfáltica, aumentando a sua durabilidade.

 

8. Proteção mecânica

reforma de impermeabilização novo contrapiso

Depois da camada separadora, pode ser feito o novo contrapiso ou outro tipo de proteção mecânica conforme a especificação de projeto. Novamente é importante salientar a importância desta proteção, pois a manta asfáltica, em seu tipo mais comum, tem baixa resistência à choques mecânicos.

 

Da mesma forma, essa etapa deve seguir as especificações de norma em relação ao traço e aos processos de cura. Depois de feito o contrapiso, é possível a instalação de um novo piso na área.

 

9. Colocação de novo piso

reforma de impermeabilização novo piso

Muitas pessoas que sofrem com problemas de infiltração podem pensar que a simples substituição do piso resolverá o problema. Os pisos em geral não possuem características fundamentais de um sistema de impermeabilização.

 

Como vimos, a colocação do novo piso é uma das últimas etapas do processo de reforma de um sistema de impermeabilização, e só deve ser feito depois de realizadas todos processos anteriores.

 

10. Reconstituição do “lay out”

reforma de impermeabilização layout

Depois de terminada a reforma, começa o trabalho de desmobilização do canteiro de obras e reorganização do espaço. Aqui são feitas a retirada de todas as máquinas, resto de entulho, sujeira em geral, limpeza e reconstituição do lay out original da área.

 

11. Execução de novo paisagismo

reforma de impermeabilização paisagismo

Por fim, é feito o trabalho de paisagismo quando for necessário, e o trabalho de reforma de uma manta asfáltica está finalmente concluído.

 

 

Reforma de impermeabilização: conheça outras alternativas

Existem no mercado alternativas à reforma de impermeabilização com manta asfáltica, que não requerem todos estes passos.

Você já conhece o Sistema Fibersals em Poliéster Flexível e a Solução 100% Silicone? Com esses sistemas, não é necessário quebrar e retirar o revestimento preexistente, e a reforma é rápida e sem entulho.

Ambos os sistemas são aplicados sobre a superfície existente, e são oferecidos pela Fibersals, empresa pioneira em sistemas de impermeabilização sem quebradeira no Brasil.

Veja um comparativo:

 

Para saber mais sobre as soluções oferecidas pela Fibersals, agende uma visita!

 

Referência:

MORAES, Claudio Roberto Klein de. Impermeabilização em lajes de cobertura: levantamento dos principais fatores envolvidos na ocorrência de problemas na cidade de Porto Alegre. 2002. 123 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil (PPGEC). Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, 2002. Disponível em: <http://hdl.handle.net/10183/2708>.

Comentários

Comments are closed.