Impermeabilização em caixas d’água: por que investir?

Em casas, prédios, ou pequenas e grandes empresas, a impermeabilização em caixas d’água e reservatórios é garantia de sossego e economia. Isso, apenas de início, porque impermeabilizar esses elementos traz ainda mais benefícios do que se pode imaginar.

Evitar que a água escape pela estrutura, cause infiltrações e danos em outras áreas da construção, como lajes, pisos e paredes do edifício, é o principal objetivo das impermeabilizações em reservatórios.

E, mais, o procedimento garante maior durabilidade da estrutura e segurança, já que evita que processos de deterioração interfiram na qualidade da água. Além de, é claro, evitar o desperdício.

A impermeabilização é indicada no ato de instalação das caixas d’água. Mas, com o tempo, principalmente em locais com impermeabilização inadequada e à base de produtos não definitivos, rachaduras podem surgir na estrutura desses reservatórios e causar vazamentos.

 

Impermeabilização da caixa d’água evita infiltrações

A infiltração é um dos maiores problemas nas edificações, e ela ocorre nos mais diversos elementos da construção, como fundações, paredes, lajes e caixas d’água. A umidade, além de causar danos estéticos e um resultado visual desagradável como pintura e reboco soltando, mofo e bolor, também pode afetar a estrutura, no processo de corrosão de armaduras, gerando um risco e comprometendo a função estrutural dos elementos.

No caso das caixas d’água e reservatórios em geral, como se trata de um local de armazenamento de água, o risco de acontecer problemas de infiltração é constante. E, como em muitos casos os devidos cuidados com a impermeabilização não são tomados, os problemas ocorrem com freqüência. Felizmente, existem maneiras de evitar as dores de cabeça com os problemas de infiltração na caixa d’água.

 

Por que ocorrem problemas de infiltração nas caixas d’água?

Antes de mais nada é preciso entender os motivos pelos quais acontecem as infiltrações, e quais são as consequências disso. As caixas d’água e reservatórios sofrem com problemas de infiltração majoritariamente por um motivo: falha no sistema de impermeabilização.

impermeabilização em caixa d'água infiltração

Para entender melhor como funciona o processo de infiltração em estruturas, vamos entender um pouco melhor sobre concreto armado.

O concreto é um material largamente utilizado na construção civil, devido à características como boa resistência à compressão, facilidade de ser moldado e manuseado, resistência à abrasão, abundância na natureza, relação custo-benefício. O concreto armado tem esse nome devido a presença de aço, também chamado de armadura. O aço tem a função de suportar as cargas de tração, que o concreto sozinho não consegue suportar, tornando o conjunto concreto-aço um material bastante versátil.

O concreto é o resultado de uma reação química entre cimento, agregados miúdos (areia e outros finos), agregados graúdos (pedras e britas maiores) e água. Esse conjunto, porém, forma um material que apresenta um certo nível de porosidade. E é justamente nesses espaços que a água pode percolar e causar problemas.

 

Entendendo a diferença de estanqueidade vs. impermeabilidade

O denominação de material estanque é dada àqueles materiais com a capacidade de reter a água, e impedir que ela passe com facilidade. Nesse sentido é possível dizer que o concreto é um material que garante estanqueidade. Porém, o concreto de forma natural, sem a presença de aditivos e impermeabilizantes, não pode ser considerado completamente impermeável, pois a água pode se infiltrar por entre os seus poros. Dessa forma, nas caixas d’água e reservatórios em geral, é imprescindível que seja feita a impermeabilização.

 

Quais os problemas mais comuns causados pela infiltração em caixa d’água?

Corrosão das armaduras

Um dos problemas mais comuns quando há falhas na impermeabilização de caixas d’água é a exposição e consequentemente corrosão das armaduras. O aço é um material que se oxida com a presença de umidade, e por isso é importante que ele esteja completamente protegido pelo concreto para não ter contato com a água. Essa função é descrita nas normas como cobrimento e deve-se prestar bastante atenção no momento da concretagem garantir os níveis mínimos.

corrosão da armadura concreto impermeabilização em caixa d'água infiltração

Quando há falhas no sistema de impermeabilização do reservatório, a água pode “lavar” esse concreto, e as armaduras de aço ficam expostas à umidade. Quando expostas, as armaduras podem sofrer corrosão e a função estrutural pode ficar comprometida. Como já sabemos que o concreto não resiste aos movimentos de tração, a pressão da água nas paredes do reservatórios pode fazer, em último caso, com que a estrutura chegue ao colapso.

 

Lixiviação

As eflorescências devido à lixiviação do concreto também são bastante comuns em reservatórios mal impermeabilizados.

O concreto é um material alcalino, e durante as reações químicas da água com o cimento são formados vários sais. Dentro do reservatórios, a água faz pressão nas paredes, se infiltrando e entrando em contato com esses sais. O resultado é o surgimento, ou eflorescência, de manchas brancas do lado de fora.

lixiviação concreto impermeabilização em caixa d'água infiltração

Além de todo aspecto visual negativo, a resistência mecânica do concreto é afetada. Também é aberto caminho para gases nocivos às estrutura, e umidade em geral, que pode gerar a corrosão das armaduras.

 

Carbonatação

A carbonatação é um fenômeno que ocorre quando CO2 entra em contato com as armaduras do concreto. No caso de uma caixa d’água que não recebeu a impermeabilização adequada, a umidade abre espaços para que o gás carbônico entre em contato com a armadura. O CO2 reage com os hidróxidos presentes no concreto, e forma os carbonatos, e por isso a patologia é chamada de carbonatação.

Essas reações químicas diminuem o pH do concreto, e isso favorece os processos de corrosão. O processo de carbonatação é mais comum em locais com umidade relativa do ar mais elevadas.

 

Como resolver os problemas de infiltração na caixa d’água?

Como quase tudo na construção civil, é sempre melhor prevenir um problema do que resolvê-lo depois que ele aparece. Dessa forma, nunca é demais frisar: tome os devidos cuidados ainda durante a fase de obra. Converse com seu engenheiro e certifique-se que o reservatório de água está devidamente impermeabilizado. Consulte e pesquise sobre as diferentes opções disponíveis no mercado e suas aplicações. Algumas pessoas tendem a negligenciar essa etapa durante a obra, pensando ser um custo desnecessário, e não se atentam ao fato que resolver problemas de infiltração depois da obra pronta com os sistemas convencionais pode ser bastante oneroso e desgastante.

Tome cuidado também para a manutenção dos sistemas de impermeabilização. Os sistemas em geral não são definitivos, e isso requer do usuário atenção para as manutenções preventivas.

Se você já está sofrendo com problemas de infiltração por falhas no sistema de impermeabilização do seu reservatório, não demore para tomar providências. Como vimos, o problema pode causar consequências graves. Na maioria das vezes é preciso refazer o seu sistema de impermeabilização, portanto, veja nossas dicas.

impermeabilização em caixa d'água

O que levar em conta ao impermeabilizar a caixa d’água?

É preciso considerar para os processos de impermeabilização se as caixas d’água são suspensas ou enterradas. Além disso, o tipo de material também pode exigir procedimentos diferentes, principalmente se você optar por métodos tradicionais de impermeabilização, que têm processos de aplicação diferentes.

Alguns materiais, como caixas de alvenaria e concreto, por exemplo, são mais suscetíveis a variações de temperatura, o que pode resultar no aparecimento de fissuras e trincas. O procedimento empregado deve avaliar essa dinâmica para que, no futuro, os materiais sobrevivam a essas condições.

Esses dois fatores serão analisados pelo técnico de impermeabilização na decisão do caminho a ser tomado.

 

Qual método de impermeabilização em caixas d’água devo usar?

Métodos tradicionais

Sistemas convencionais, rígidos e flexíveis, podem ser utilizados em caixas d’água e reservatórios, mas podem requerer obras mais longas e, dependendo do sistema escolhido, mais atenção deve ser dispensada à manutenção da impermeabilização, para que as infiltrações não voltem a acontecer na caixa d’água.

Os rígidos são caracterizados como aditivos químicos, que devem ser incorporados à argamassa ou ao concreto na hora da cobertura. São comercializados sob a forma de cimentos poliméricos, cristalizantes e resinas epóxis e indicados para estruturas onde a mobilidade é menor.

Os sistemas flexíveis consistem na aplicação de mantas pré-moldadas ou misturas moldadas, feitas de fibra flexível de poliéster. Quando secam, essas estruturas funcionam como uma membrana protetora. As soluções flexíveis devem ser instaladas em locais de maior movimentação estrutural dos materiais, espaços sujeitos a rachaduras e ao sol (que causa dilatação dos materiais).

Uma característica da aplicação de materiais convencionais é que, principalmente os rígidos, exigem várias etapas e camadas antes da finalização do processo. Se cuidados não forem tomados, há riscos de complicações, já que cada processo precisa ter uma ordem adequada e um tempo de secagem – mão-de-obra de qualidade e supervisão adequada por um profissional, portanto, são fundamentais.

É importante destacar que é sempre necessário se informar se o sistema de impermeabilização escolhido não tem impacto na potabilidade da água, o que pode ser comprovado facilmente através de um laudo de potabilidade.

 

Impermeabilização definitiva de reservatórios e caixas d’água

Uma ótima opção para sistema de impermeabilização de reservatórios e caixas d’água é o poliéster flexível da Fibersals.

Se você já tem o espaço em uso, é impossível deixa-lo muito tempo interditado por problemas na caixa d´água, não é mesmo? Mas com o poliéster flexível isso não acontece. O processo precisa, em média, de um tempo seis vezes menor para a aplicação – diferente dos métodos convencionais.

Outra vantagem é que a superfície impermeabilizada pelo poliéster flexível oferece mais higiene no uso do reservatório, pois possibilita mais praticidade na hora da limpeza, além de a sujeira não aderir à superfície impermeabilizada. Além disso, a superfície final é atóxica, e não deixa cheiro ou gosto na água, sendo inclusive aprovada para contato com alimentos. Veja também nosso post sobre como fazer a limpeza da caixa d’água.

Por fim, vale lembrar que o poliéster flexível é definitivo, ou seja, possui alta resistência à fatores externos que podem diminuir a vida útil da impermeabilização e tem garantia de 15 anos. Ficou interessado? Veja nossas obras de impermeabilização de caixas d’água.

 

Para saber mais sobre o Sistema Fibersals, acesse nosso site. Ou então entre em contato e solicite um orçamento! Nós temos o serviço ideal para a impermeabilização da sua caixa d’água!

Comentários

Comments are closed.